Fonte: BASSO, J.L.; COLENCI JR, A.; CSILLAG, J.M. (vide informações adicionais)
 

Contexto histórico e conceitos

A técnica de Análise de Valores / Engenharia de Valores (AV/EV) é um esforço organizado para atingir o valor ótimo de um produto, sistema ou serviço, promovendo as funções necessárias ao menor custo. Seu surgimento está ligado a pesquisa de novos materiais, de mais baixo custo e mais fácil obtenção, substituindo os materiais escassos devido a II Guerra Mundial. Esta pesquisa ocorreu na General Eletric nos EUA, sendo a técnica de AV/EV formalizada por Lawrence D. Miles em 1947.

A análise do valor (AV) é utilizada para produtos já existentes, em fase de produção. A engenharia do valor (EV) é utilizada para projetos e produtos na fase de desenvolvimento. A AV/EV aplica-se portanto em todas as fases do ciclo do produto. Melhores resultados são obtidos quando a metodologia é aplicada aos novos produtos já na fase introdutória, onde os custos de mudanças implementadas são menores e o potencial dos resultados é bastante alto.
 

Base teórica

A sustentação da AV/EV está consolidada basicamente em quatro áreas, conforme descrito a seguir:

-Especialização: reúne e confronta todos os conhecimentos especializados e habilidades disponíveis na organização;

-Criatividade: o processo criativo é um processo mental, no qual se combinam e se recombinam as experiências passadas, frequentemente com algumas distorções para formar novas combinações procuradas. Em AV/EV, os processos criativos são dirigidos a redução do custo necessário à realização de uma função, mantendo-se sua confiabilidade. Dentre os vários métodos utilizados para direcionar o processo criativo, em AV/EV o Brainstorming é o mais recomendado;

-Reconhecimento e contorno dos Bloqueios Mentais: que podem ser de percepção - "bitolamento" de visão, culturais - tendem a manter o normalmente aceito, emotivos - medo das consequências, e de hábito - oposição às mudanças de costumes;

-Análise das funções: o valor propriamente dito é a relação entre o que desempenha a função para um comprador e o seu preço.

O conteúdo base de qualquer aplicação da técnica de AV/EV envolve três etapas distintas: estabelecimento das funções, avaliação da função por comparação e desenvolvimento de alternativas para o valor.

Pode-se classificar o valor em: funcional - ligado ao desempenho; estético - ligado a vendabilidade; troca - ligado a soma dos dois anteriores.

A classificação das funções podem ser: básica - finalidade específica para a qual o ítem foi projetado, secundária - suportam a ação básica e não-necessária - que devem ser eliminadas. As funções são necessariamente avaliadas por comparação. Como primeiro passo para a avaliação de funções deve-se relacionar os componentes, seus custos e suas funções.

Para proceder a um estudo de AV/EV, temos inicialmente que seguir alguns critérios que permitam selecionar o produto ou operação adequadas ou viáveis a aplicação da técnica. Estes critérios referem-se a: maior a quantidade a ser produzida, mais pesa o produto no valor bruto produzido, maior o custo de um componente, mais cara a operação de uma sequência dada, vida prevista do produto viabiliza o estudo, modificações resultantes são viáveis.

Outro aspecto a ser considerado para proceder-se um estudo de AV/EV refere-se a fase do produto que deve-se aplicar. O ideal seria a utilização de 50% dos esforços dispendidos em EV aplicados na fase de projeto do produto, 40% na fase de preparação para a produção e, finalmente, 10% na própria produção.
 

Procedimento de realização da AV/EV

Um plano de trabalho viável e consistente é fundamental para a execução da técnica de AV/EV. As etapas seguintes fazem parte da grande maioria dos planos de trabalho existentes:

a) fase de orientação: objetivo, desejos reais do consumidor, características e propriedades desejadas, etc.

b) fase de informação: coleta de todos os dados e informações disponíveis, as funções devem ser estabelecidas e definidas, avaliação de cada função por comparação.

c) fase criativa: determinação de como o custo do produto ou operação poderá ser reduzido para o valor avaliado, por eliminação de funções desnecessárias ou substituição de ítens ou operações. É comum o uso do brainstorming nesta fase.

d) fase de análise: as idéias são analisadas e para cada uma escreve-se a resposta adequada, do que falta para funcionar, e não porque é que não funciona. Nesta fase são consideradas alternativas como comprar ou fazer, seleção do processo e do material e problemas de produção.

e) fase de planejamento do programa: será planejada a execução do trabalho. Uma sugestão é dividir o projeto em áreas funcionais, facilitando a análise por especialistas. Deve ser feita uma programação para as atividades, considerando-se os tempos e custos envolvidos.

f) fase de execução do programa: acompanhamento dos resultados e consequente ajustagem do programa em função do andamento.

g) fase final com conclusões e relatório: o processo decisório é de importância capital. Vários elementos devem ser levados em conta: o elemento do conflito, do tempo, do acaso e da estratégia. A utilização de técnicas para a tomada de decisão, como por exemplo a "matriz de decisão" é recomendável. O relatório é fundamental como registro de estudo.
 

Considerações finais

Para a implementação das idéias de AV/EV, é necessário que uma infra-estrutura seja criada o que por si só garantirá uma série de benefícios para a organização da empresa. Além disso, com a redução dos custos há uma economia real e quantificável obtida após a aplicação. Pontos em que estes benefícios são facilmente notados: material, processo, peças normalizadas, número de componentes, peso, custo de documentação, ferramental, tempo total entre emissão da ordem e entrega do produto.

Há uma grande multiplicidade dos planos de trabalho existentes. o sucesso a ser conseguido está diretamente relacionado com a lealdade e entusiamo inspirado nos outros, bem como motivação e incentivo para as pessoas envolvidas.

Deve ser salientado a diferença entre AV/EV e técnicas de redução de custos. A AV/EV constitui um esforço deliberado para identificar e selecionar o método de menor custo, entre muitos outros, para satisfazer as necessidades funcionais adequadas. Uma simples idéia que é gerada resultando num menor custo para atingir um requisito de projeto não é AV/EV. Embora a idéia represente provavelmente melhor valor, não houve tentativa para determinar se a idéia representa o melhor valor de um seleção de alternativas, ou se os requisitos de projeto, sendo satisfeitos, representam o real problema.
 

 

Informações Adicionais - última verificação 11/11/1999  (voltar para início da página)

BASSO, J. L. (1991).  Engenharia e Análise do Valor. São Paulo: IMAM. ( Disponível na biblioteca da EESC - USP ).

COLENCI JR, A. (1989). Análise e Engenharia de Valor. São Carlos.  /Relatório técnico EESC-USP/. ( Disponível na biblioteca da EESC - USP ).

CSILLAG, J. M. (1991). Análise do Valor: metodologia do valor. 3.ed. São Paulo: Ed. Atlas.  ( Disponível na biblioteca da EP - USP ).

 

Sites Relacionados

Value Analysis and Function Analysis System Technique (1996) -  DRM Associates.  http://members.aol.com/drmassoc/va.html
SAVE International (1999).  http://www.value-eng.com/
Value Analysis by Theodore C. Fowler (1994). http://mijuno.larc.nasa.gov/dfc/va.html
Value Engineering from the Perspective of Competitive Advantage by Edwin B. Dean (1997).  http://mijuno.larc.nasa.gov/dfc/ve.html
Portal de Conhecimentos - www.portaldeconhecimentos.org.br
 
   Retornar para lista de conhecimentos